sexta-feira, Outubro 24, 2014

Peregrinação...

[...] É apenas à tua alma, bem-amada, que quero dirigir-me em peregrinação, profunda, profunda, chegando ela se torna templo. E lá erguerei a minha nostalgia como uma custódia no teu esplendor. 
[...]

Rainer Maria Rilke a Lou Andreas-Salomé

quinta-feira, Outubro 23, 2014

Janela...

Sem brilho, levado
todo para dentro, o olhar:

A sombra
dupla que um dia fui
divide-se
em duas, erguem-se
as alas da noite - agora vai,
palavras que estivestes tempo de mais no mundo, rola,
sai -

Com os olhos de uma criança, com
os olhos da sua mãe
encontro eu a minha segunda,
a minha primeira
janela.


Paul Celan

quarta-feira, Outubro 22, 2014

Intransmissível...

Vida na expectativa
Espectáculo sem ensaios.
Corpo sem tirar medidas.
Cabeça sem reflexão.

Não sei o papel que desempenho.
Sei apenas que é meu, intransmissível.

[...]


Wislawa Szymborska

Unexpected...

Poetry comes in all sort of ways...

RAM


[Antony & the Johnsons - Mysteries of love]

terça-feira, Outubro 21, 2014

Católico...

EU SOU CATÓLICO E QUERO DEFENDER O DIREITO Á FELICIDADE! 

À custa do Miguel Vale de Almeida ainda vou ser excomungado. 
Embora a semana passada me tivesse "insurgido" contra a posição dele relativamente ao Sínodo, o modo como o fiz não se enquadrava, propriamente, na cartilha do João César das Neves, com quem, em comum, só tenho uma coisa: o local de trabalho. 
Esta semana, contudo, leio a notícia do i sobre uns casais católicos que querem defender o casamento e sou levado a secundar o seu grito: "Why, oh why?" 

Querem defender o casamento? De quê??? De quem??? Está a ser atacado??? 

Confesso: não percebo a falta de capacidade de "encaixe" de certa malta, para quem o "seu mundo" só parece fazer/ter sentido se nada mais houver para além dele. 

Penso: Eu gosto do azul. O que me interessa a mim que outro alguém, pequena maioria ou imensa minoria - sempre gostei do mote da velha XFM - (tanto se me dá!), goste de amarelo, de fúcsia ou de outra cor diferente?! Parabéns à prima! Aquilo que eu penso do azul adquire um valor especial não por traduzir a realidade que conheço e/ou a única que aceito, mas porque, vivendo, dia a dia, com um arco-íris a meu lado, acordo, e continuo a curtir o "meu" azul. 

É verdade que "não frequento regularmente os Sacramentos". 
O Baptismo só o "frequentei" quando tinha 1 ano e fi-lo ao colo de minha mãe. 
O Crisma demorei 30 anos a "frequentar", e só o fiz depois de ter devorado Nietzsche e Sartre (os quais continuo a reler e a citar). 
A Extrema Unção espero não "frequentar" tão cedo e a "Ordem", além de canonicamente me estar vedada, bem... não se "revela adequada" à minha pessoa. 
Os meus lapsos são conhecidos de Deus... e de 1 ou 2 amigos. 
A Eucaristia também não "frequento", pela simples razão de que o sentido comunitário da celebração da Palavra não é passível de ser "frequentado", numa qualquer perfeita composição de álbuns de bons "Católicos sociológicos". A Eucaristia bebe o seu significado primacial no Agápe, no sentido comunitário de "por a mesa"... e é para ser VIVIDA, não frequentada. 
Para último: o Matrimónio. Pois... sou divorciado e, antes de casar, vivi em união de facto. Foram quase 9 anos em que pensei ser feliz, não fora o facto de companheira de caminho subscrever, e bem - reconheço-o hoje - as palavras de representante do género em "Assim Falava Zaratustra": "Disse-me uma vez uma mulher: É certo que quebrei o casamento, mas antes disso já me quebrara a mim o meu casamento." 

Terei eu passado ao lado de todos os Sacramentos? 
Serei, também eu, um dos inimigos dos casamento?! 

Para quando o fim da pretensiosa superioridade moral e dos juízos que a acompanham? 

Assumo: não tenho vocação para fotos de circunstância. O que faço, faço por paixão, de forma implicada. 
Procuro ser coerente, sendo certo que a minha coerência em nada perde "vis-à-vis" com a diferença.

RAM

domingo, Outubro 19, 2014

Riddle...


[Patrick Doyle - Kissing in the Rain]

Request...

My river runs to thee: 
Blue sea, wilt welcome me? 

My river waits reply. 
Oh sea, look graciously! 

I’ll fetch thee brooks
From spotted nooks, - 

Say, sea, 
Take me!


Emily Dickinson 

Estações...

"Quero permanecer nesta tempestade e não perder nenhum frémito desta comoção. Quero ter Outono. Quero recobrir-me de Inverno sem me atraiçoar pela menor cor. Quero cobrir-me de neve, preparando-me para a Primavera que há-de vir, de tal modo que aquilo quer germina em mim, não cresça demasiado depressa fora dos sulcos."


Rainer Maria Rilke (sobre Lou Andreas-Salomé no seu Diário de Worpswede)



sexta-feira, Outubro 17, 2014

Rasto...

Escavo o rasto dos teus passos:
o mundo
derrama-se
na cavidade que fica,

volto a amar-te
no limite febril de mim mesmo,

tu folheias, agora terra fina,
os meus remotos
testemunhos.


Paul Celan

quinta-feira, Outubro 16, 2014

Talvez...

Esgotamos os desacordos
em livros pequenos: lermos
juntos substitui a cama e as
conversas. Talvez este amor

estivesse escrito e, por isso,
ao virar da página, haja
sempre uma mão do outro lado,
quente, apertada na nossa.


Maria do Rosário Pedreira